Paciente que aparece no WhatsApp, com acompanhante reclamando, foi atendido de imediato, na UPA da Queimadinha, diz prefeitura

Foto: Secom

Apenas 19 minutos, entre o horário em que o paciente chegou à unidade e entrou no consultório médico para ser atendido. Foi este o tempo que levou o homem que aparece em um vídeo no WhatsApp, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Elisabeth Dias Marques, no bairro Queimadinha, em que um acompanhante reclama de demora na prestação do serviço.

O esclarecimento está sendo feito pela coordenação da unidade da rede municipal de saúde. No vídeo, um acompanhante do rapaz, vitima de queda, diz que o atendimento não  acontece porque servidores da UPA estariam “comendo pizza”. 

Na verdade, em que pese estivessem os funcionários em horário de refeição,  a equipe completa estava atuando e apenas um servidor, em seu intervalo de trabalho, estava se alimentando no momento.

O relatório de atendimento do paciente  aponta que ele deu entrada na unidade no dia 31 de janeiro as 22h41min. As 22h44min passou pelo acolhimento para classificação de risco. Passou pela sala vermelha para avaliação, já que havia sofrido trauma. Ficou constatado não haver risco de vida, apenas um ferimento no supercilio. As 23h, atendido no consultório médico e 11 minutos depois, encaminhado para  sutura.

No momento em que seria submetido ao procedimento,  o paciente recusou-se, insultou a equipe e deixou o local sem ser medicado. Os profissionais não entram no mérito dos motivos da irritabilidade e instabilidade emocional do paciente e de seu acompanhante.

A coordenação da UPA da Queimadinha informa que toda movimentação na unidade é registrada em documentos e pode ser constatada nas filmagens feitas pelas câmeras de segurança instaladas  no ambiente.

As informações são da Secom

PUBLICIDADE