Prefeito reafirma que não cortou salários de professores

“Não cortamos um Real sequer do salário dos professores, até porque seria ilegal. Suspendemos, temporariamente, a aula extra e o deslocamento”, garante o prefeito Colbert Martins Filho, acrescentando que a medida é temporária, em razão da pandemia. Ele salienta que “não se deve pagar por um serviço não prestado, principalmente em se tratando de dinheiro público”.

“Todos os professores concursados e recém empossados sabem que começam a carreira com 20 horas. Porém, a Prefeitura de Feira dispõe mais 20 horas extras, por uma série de motivos: substituição de professores licenciados, atividades escolares em casa etc. Se nada disso está ocorrendo, como pagar?”, questiona o prefeito.

O prefeito considera um bom exemplo da relação do Governo Municipal com os professores o fato de nunca ter deixado a categoria sem um reajuste de salários. “Sempre houve diálogo com APLB, que todo ano faz greve por aumento de salário, e a Prefeitura honra o compromisso”, destaca.

As informações são da Secretaria Municipal de Comunicação