Transporte coletivo: empresas de ônibus podem demitir mais 120 trabalhadores em Feira de Santana

Foto: Paulo José/Acorda Cidade

Após a demissão de 293 trabalhadores, as empresas Rosa e São João, que prestam serviço de transporte coletivo urbano em Feira de Santana, comunicaram ao Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do município (Sintrafs) que pode haver mais uma demissão em massa. Segundo o presidente interino do sindicato, José de Souza, mais 120 trabalhadores podem perder seus empregos.

“Fomos procurados, na quarta-feira [da semana passada, dia 1º], pelo gerente da empresa Rosa e pelo dono da empresa São João, que nos disseram que estão querendo demitir mais 120 trabalhadores porque não estão dando conta de pagá-los por causa dessa pandemia. Eles fizeram a redução de 50% da frota, e mesmo com a redução dos 50% nos salários e na carga horária, eles disseram que não estão dando conta. Os acordos que foram feitos com a prefeitura não estão sendo cumpridos, eles já demitiram 293 e têm interesse em demitir mais 120 trabalhadores, 60 de uma empresa e 60 de outra”, disse o sindicalista ao Acorda Cidade.

José de Souza lamentou o fato de mesmo havendo ação na justiça por meio do Ministério Público do Trabalho com várias negociações, não foi possível evitar a demissão dos 293 rodoviários, mas destacou que não aceitará essa nova demissão em massa, caso venha a ocorrer.

“Dissemos para eles de imediato que nós não vamos aceitar mais demissões no município e que eles nos provem o motivo dessas demissões. Se houver essas demissões, infelizmente nós vamos ter que tomar uma providência drástica na cidade. Não é possível que só os trabalhadores venham pagando o pato aqui em Feira de Santana. Todo lugar que tem demissão em massa, o poder público procura uma solução e aqui em Feira de Santana infelizmente eles não estão olhando o transporte público como transporte público, tem que olhar com mais seriedade, e acabar com isso de só nós trabalhadores ficarmos pagando o pato, sendo demitidos. Se houver realmente essas demissões não vamos aceitar”, concluiu.

O Sistema de Transporte com as empresas Rosa e São João iniciou com 960 trabalhadores.

A Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) informou que ainda não foi comunicada oficialmente da possibilidade de afastamento de motoristas e cobradores.

Fonte: Acorda Cidade