Mais de 30 supermercados terão que explicar alta de preços de alimentos ao Procon

Para o vereador Luiz da Feira, empresas se aproveitaram da crise causada pela pandemia de coronavírus

Foto: Ascom/CMFS

Trinta e um supermercados estão sendo notificados pela Superintendência Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) para que expliquem o aumento abusivo do preço da cesta básica em Feira de Santana. A informação foi dada na Câmara pelo vereador Luiz da Feira (PROS), autor de requerimento aprovado pela Casa pedindo que fosse feita uma ampla fiscalização pelo órgão neste segmento, recentemente.

“Solicitei ao superintendente Cleudson Almeida que o Procon realizasse essa operação porque não podemos permitir que os preços dos alimentos aumentem dessa forma. Um trabalhador que recebe o salário mínimo não tem condições de sustentar sua família com a cesta básica custando R$ 450″.

Segundo o vereador, o preço dos itens considerados essenciais está pesando muito no bolso dos feirenses: “Como as pessoas vão poder comprar todos os produtos de primeira necessidade com um quilo de arroz custando quase cinco reais, o do açúcar três e cinquenta e o de carne trinta e cinco reais?”.

Para o vereador, empresas se aproveitaram da crise causada pela pandemia de coronavírus para aumentar o custo dos alimentos de forma exorbitante. “O Procon precisa ficar atento aos supermercados, fiscalizar com rigor, pois as pessoas precisam de preços justos para que possam fazer todas as refeições”, adverte.

As informações são da Ascom CMFS.