Mãe de jovem que morreu em acidente pede que pessoas não entreguem suas vidas ao álcool

Ela declara que tem se apegado a Deus para enfrentar esse momento de luto e dor

Foto: Arquivo Pessoal

Nove dias após o grave acidente automobilístico que aconteceu na Avenida João Durval Carneiro em Feira de Santana e em que morreu o jovem Gabriel Souza Carneiro Silva, de 21 anos e deixou mais duas pessoas feridas, a mãe do jovem, a professora e empresária, Quezia Carneiro, está emocionando as pessoas através das redes sociais com um vídeo onde reflete sobre a relação de bebida alcoólica e juventude e como essa combinação pode ser fatal. Os três jovens eram amigos, inclusive o motorista do Uber.

Emocionada, ela chama a atenção das famílias e dos jovens sobre o consumo de álcool e declara que tem se apegado a Deus para enfrentar esse momento de luto e dor. Quezia pede que os jovens não vivam por atacado, que ouçam seus pais e não deixem que o álcool domine as suas vidas.

Confira o relato a seguir:

Olá, eu sou Quezia Carneiro, mãe de Gabriel Carneiro, que faleceu em um acidente de carro no dia 9 de novembro de 2020 e eu estou aqui passando para deixar um recado para você que é jovem, adolescente, que tem mais ou menos a idade de meu filho.

Cuida da tua vida meu filho, não viva por atacado. Eu sei que você tem uma fome imensa de viver. Você quer curtir a vida, você quer sair com amigos, mas você tem a vida inteira pela frente. Você não precisa fazer isso tudo em 20 anos. Se apegue a Deus. O que seria de mim em Deus nesse momento?

Muita gente me pergunta se eu não fiquei com raiva, se eu não fiquei rancorosa com a morte do meu filho e eu digo que sim. Eu tive raiva e ainda tenho raiva, mas eu não senti raiva de pessoas, eu senti raiva de um elemento que participou daquele acidente trágico. Eu sinto raiva do verdadeiro culpado daquele acidente que foi a bebida, o álcool. Aquela cervejinha que nós pais, tomamos na frente dos filhos de forma tão ingênua e não adianta a gente falar não beba, se a gente bebe. E eu confesso a vocês que eu dei esse exemplo a meu filho, eu bebi durante muito tempo, durante a infância dele, durante a adolescência e somente há quatro anos Jesus me resgatou para ele e eu parei de beber. E eu juro para vocês que eu tentei, mas já era muito tarde. Gabriel, já tinha se acostumado a alegria do álcool. Ele era um menino muito tímido e então ele usava o álcool para extravasar, se tornar um menino mais extrovertido. Era o momento que ele mais me abraçava e dizia que eu era linda e que me amava, e era um momento também que ele tinha para paquerar as meninas, que ele tinha coragem pra paquerar as meninas porque ele era muito quietinho, era muito tímido.

Eu digo para vocês que eu tenho muita raiva do álcool. Essa semana eu estava olhando os stories e no feed e vendo tantos pais, no final de semana tomando cervejinha e criança do lado e a gente não imagina como aquilo ali no futuro pode trazer tanta dor para a gente. Tanta dor. E, por isso que eu quero deixar esse recado para você. Menina, menino, adolescente, jovem, cuida da tua vida. Não permita que sua vida seja tomada pelo álcool. Se você gosta de beber, você gosta de farra, mas ouve a tua mãe, ela parece ser uma pessoa chata, ela pega no teu pé, mas aquilo tudo é amor, é amor que transborda e que faz a gente se tornar essa pessoa mesmo briguenta. Porque ela quer a tua vida, ela quer você perto, ela não quer sofrer o que eu estou sofrendo. Não quer ver você ir embora e então ouve, obedece. A bíblia fala: “Honra teu pai e tua mãe, para que te vá bem, tenha longos anos na terra”.

Pensa nisso e ouve o conselho de uma mãe que está sofrendo muito. Meu filho foi embora, foi levado para essa missão, a missão de dar vida para muita gente. Para servir de exemplo para o que não deve ser feito. Ele foi um anjo e só fez o bem para todo mundo. Mas, ele não cuidou dele, e eu espero que você se cuide”.

Segundo Quezia, Gabriel era estudante de engenharia mecânica e jogava no time de futebol americano Red Bulls de Feira de Santana. Trabalhava durante o dia e estudava à noite, tinha muitos amigos e vivia sorrindo e cheio de sonhos. Após a morte prematura do jovem, a família está unida na fé e no amor para superar o momento de dor.

Fonte: Acorda Cidade